Leitura – A Garota no Trem – Paula Hawkins

garotatrem-copy

Este é um livro que me interessou no Reino Unido, mas eu achava meio caro fora do padrão em relação a preços dos livros que eu comprava. Além disso, depois de um tempo passei a comprar os livros no Kobo para não ter que pagar excesso de bagagem e comecei a ler a saga A Song of Ice and Fire, e nós sabemos que tem muita página para pouca Leila em cada um desses livros, rs.

Como fiz ontem com os critérios para produtos de beleza, a minha avaliação dos livros também vai seguir alguns critérios que são: 1 – personagens; 2 – enredo; 3 – grau de comprometimento com a leitura e 4 – indicação geral.

Personagens:

A história do livro é inteiramente narrada por personagens mulheres em primeira pessoa. São elas: Rachel – que é a garota no trem, que começa contando sobre sua imaginação e sua observação do casal Jess e Jason que moram numa casa vizinha a que Rachel morou enquanto era casada com Tom; Anna, a atual esposa de Tom, que vive na casa em que Rachel morou com ele e tem uma filha pequena; e Megan uma moça casada, moderna, e que decide ajudar Anna a cuidar de sua filha pequena, trabalhando como babá.

Cada uma dessas personagens tem aspectos próprios, mostram algumas facetas de personalidades femininas, e todas apresentam falhas. Apesar de a trama empolgar e você realmente ficar interessado no “whodunnit” (também conhecido “quem matou?”), não senti muita empatia por nenhuma delas de fato. Voltarei a comentar sobre isso ao falar do grau de comprometimento.

Enredo:

A história é escrita como um diário com dia e horário dos acontecimentos e troca o ponto de vista entre as três personagens principais para avançar cada ponto. A principal personagem é Rachel, mas é possível ver que as histórias de certa forma irão se misturar. Além disso, há o uso de flashbacks para expor certos temas por diferentes enfoques. Ainda, é possível visualizar a solução antes do problema ser de fato resolvido. Alguns dos aspectos negativos da personalidade de Rachel me fez pensar em pessoas como ela, e tentar concordar com as suas atitudes, mas de um modo geral, apesar de achar que a personagem é condizente, achei difícil ficar do lado dela.

Contudo, o ritmo com que as coisas se desenvolvem é bom, e a trama é rica para entretenimento.

Grau de Comprometimento:

Sempre fui uma leitora obsessiva (ou seja, daquelas que “devoram” o livro ao invés de lê-lo), mas demorei a engatar nesta história em específico (levei mais de um mês para ler), principalmente porque não gostava muito dos personagens. Mas a trama prende e compensa a partir da metade do livro. Gosto de tramas em que há uma investigação, e por isso, o uso do “quem matou?” não me deixou incomodada. Mesmo que ele seja posto de lado, quando esta conclusão é evidente ao final.

Indicação Geral:

Recomendo este livro para quem goste de suspense e thrillers psicológicos. Achei a leitura leve, e, como disse, ficamos entretidos. Por isso, minha avaliação é 4 de 5 corujas (por nenhum motivo além de eu gostar de corujas, hahaha).

boa quinta!

leila

A Meta de Livros do Ano

Ano passado eu li 11 dos 12 livros que gostaria de ter lido no ano. Daí achei que poderia atualizar a minha meta para 24 livros em 2016.

Bom fiquei os 3 primeiros meses lendo A Dance With Dragons. Não era a minha intenção demorar tanto, mas acabei me dedicando mais à TV do que gostaria. Além disso, o livro era imenso e eu me dediquei a ler um capítulo de cada vez. Só agora na Páscoa acabei lendo mais.

Então decidi que vou ler um livro de cada vez e aos poucos ir colocando aqui. Se der 24, bom, se não der, tudo bem. O importante é ler livros, não importa quantos. Estou pensando em colocar um pouco mais sobre os livros aqui também. O próximo da minha lista é “Como eu era antes de você?” da Jojo Moyes. Está sendo adaptado para o cinema e a personagem será vivida pela atriz que faz a Daenerys. Se vocês acham que eu não deixei de lado totalmente Game of Thrones, provavelmente vocês estão certos.

leila

A Dance With Dragons – George R. R. Martin


imageCom absoluta certeza, levei muito mais tempo para ler esse livro do que qualquer outro que eu me lembre. Não é que a história não seja interessante. Acho que dois fatores pesaram muito: é muito longo e o fato de que o autor declarou que o sexto volume (The Winds of Winter) não seria lançado este ano (antes do retorno da sexta temporada da série).

Este livro começa no mesmo momento que o quarto livro para alguns personagens (Tyrion, Jon, Daenerys e Davos) mas, na metade, chega ao momento temporal de A Feast for Crows e segue adiante, nos informando sobre Jamie, Cersei, Arya e outros personagens que estão no Sul de Westeros (já que a divisão entre os personagens a serem explorados entre quarto e quinto livro foi geológica). Não sabemos mais sobre o Sam nem sobre a Sansa, no entanto.

Acho que a notícia mais importante é que finalmente chegou o inverno (apesar de que… O próximo livro vai ser sobre o inverno e o último trará sinal da primavera, acho que a estação mais longa foi o Outono, rs).

Detalhe que só dá para reparar lendo os 5 livros: o prólogo e o epilógo de cada um costuma trazer o ponto de vista de um personagem que ainda não sabe, mas estará morto no final do capítulo. A não ser que o livro não tenha um epilógo (no caso de A Game of Thrones, A Clash of Kings e A Feast for Crows). Se tiver um, o personagem não apareceu antes (o ponto de vista dele) e é certo a sua morte.

Os prólogos servem para trazer alguma informação especial. O primeiro da série toda traz que os caminhantes brancos voltaram e são terríveis (colocando a importância da Muralha). O segundo traz o caráter dúbio da personagem Melissandre. No quinto, temos o personagem conhecido como um warg (algo que todas as crianças Stark são) para mostrar o que acontece na morte de um deles. Podemos imaginar essa consequência para os Stark ainda vivos e com seus direwolves?

A maior parte das histórias acabaram por nos deixar no escuro no entanto. No geral, gostei do livro (pela primeira vez não gostei dos capítulos da Arya, que estão ficando impessoais). Seria 3 de 5 pretendentes a mão de Daenerys.

leila

leila